O Redentor

Redentor é alguém que assume a figura mítica do auto-sacrifício para redimir os semelhantes desvalidos. Encontrei ao longo da minha experiência de consultoria várias vezes essa surpreendente e sofrida atitude no trabalho, por isso creio interessante me estender um pouco na sua análise. Para Kancyper (2010) na identificação redentora o sujeito opera como um homem-deus encarnado: mortal/imortal. Nessa fantasia, a sua imolação será destacada e compensada com a ressurreição e a vida eterna. O redentor não é qualquer mortal, é um imortal. Com o estabelecimento do vínculo sacrificial o redentor se perpetua como a figura protetora de um suplicante. No manifesto opera como um herói que intercede pela salvação de um outro, mas no latente acaba sendo um mendigo desse outro, que finalmente se posiciona ante ele (o redentor) como um amo ávido e queixoso, impossível de ser satisfeito nas suas intermináveis demandas[1]. A dinâmica emocional me sugere um redemoinho que inexoravelmente irá engolir o nadador. Este, obstinadamente tentará manter-se flutuando.  Mas em vão.

Para Kancyper, a identificação redentora tem origem na história de gerações que precederam o nascimento do(a) redentor(a), frequentemente o pai (ou os pais), e que estão presentes no seu inconsciente e que o compelem ao cumprimento de uma missão singular: a de redimir a honra ofendida de um “outro” mediante o seu próprio sacrifício. O redentor torna-se um enaltecido herói que libertará, mediante o próprio sacrifício, as feridas narcísicas e não cicatrizadas da história dos pais. Feridas infringidas pelo fracasso destes na consecução de objetivos gloriosos.

O redentor tem dificuldade para assumir sua identidade própria, se constitui através do sacrifício e da reparação compulsiva, e ele somente poderá vir a ser, se cumprir com a dupla função de redentor e de vítima, em nome de um “outro” [2].

Algumas vezes me encontro com essa configuração inconsciente em alguns sucessores durante o trabalho de coaching realizado em processos de sucessão em empresas familiares. Obviamente, o approach do coaching não tem nem a profundidade e nem os recursos para transformar essa configuração sediada no domínio do inconsciente e lá solidamente instalada e fortalecida desde o alvorecer da vida, mas pode identificá-la e indicar a conveniência de um processo de terapia pessoal que poderá poupar o cliente de um sofrido e infrutuoso desgaste. Creio que o investimento vale muito a pena, pois o sofrimento que esta situação emocional impõe é muito grande e resulta em perdas e malogros de oportunidades.

[1] Kancyper, L. Resentimiento Terminable e Interminable – Psicoanálisis y Literatura (p. 92). Buenos Aires, Lumen, 2010

[2] Kancyper, L. Op. Cit.

COMPARTILHAR

ÓTIMA GESTÃO

A ÓTIMA Estratégia e Gestão é uma empresa de Consultoria e Treinamento de Gestão, nas áreas de Planejamento Estratégico, Sistemas de Gestão, Treinamentos e Projetos de Melhoria Lean 6 sigma. Tem como foco o desenvolvimento de projetos que tragam ganhos significativos em produtividade, qualidade e redução www.otimaeg.com.br

ROGÉRIO YUJI TSUKAMÓTO

Prof. e coordenador dos programas de Gestão de Empresas Familiares (EAESP-FGV/SP); Prof. de Empreendedorismo, História Empresarial e Sucessão Familiar em programas executivos da USP, Fundace e INEPAD; Membro do IBGC Instituto Brasileiro de Governança Corporativa Mestre em Business Administration pela The Wharton School of the University of  Pennsylvania (EUA). Um dos mais renomados consultores, em planejamento sucessório para empresas familiares em diversos segmentos, como: Cosan, Petróleo Ipiranga, O Boticário, Tigre, Ajinomoto, ABERT (Rádio e TV), ABRAS (Supermercados), SindPetro e muitas outras. info@gestare.com.br

Héctor Lisondo

O Instituto Lisondo é uma Consultoria Boutique fundada em 1998 com o propósito de promover o desenvolvimento de pessoas e empresas através de propostas customizadas e bifocais (aspectos técnicos e humanos simultaneamente abordados).

Conheça mais

Valéria Lisondo

Biblioteca Virtual

Nosso acervo virtual gratuito.

Veja mais

Empresas Familiares e Famílias Empresárias

No nosso capítulo destacamos a dimensão de sofrimento inerente à conquista de resultados nesses contextos. Resultados compreendidos não apenas pela métrica financeira, mas também pela estruturação de uma governança sadia. De Coordenação: Roberta Nioac Prado

Comprar

Empresas Familiares Uma Visão Interdisciplinar

A obra, com participação de Héctor e Valéria Lisondo, é resultado dos debates multidisciplinares que ocorrem nos encontros do Grupo de Estudos de Empresas Familiares da Faculdade de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Comprar

Mudança sem Catástrofe ou Catástrofe sem Mudanças

Esse livro é o resultado da confluência de algumas descobertas da psicanálise aplicadas à organização. Oferece aos líderes alternativas de reflexão para melhorar os seus resultados,  convidando-os para uma mudança pessoal.

Comprar

Inovação Organizacional e Tecnológica

O livro focaliza a crucial questão da inovação desde múltiplos vértices tais como: o tecnológico, o organizacional, do empreendedorismo e desde a perspectiva psicológica onde se aborda o grupo como um organismo em permanente evolução na busca e na afirmação da sua identidade grupal.

Comprar